ANTONIJA LIVINGSTONE

http://www.serralves.pt/actividades/detalhes.php?id=1806&pai=2&showmenu=1

THE PART – ANTONIJA LIVINGSTONE

24 ABR 2010 – DAS 22:00 ÀS 23:30 – AUDITÓRIO DE SERRALVES

A canadiana Antonija Livingstone é mais conhecida como intérprete e performer em colaborações com Meg Stuart / Damaged Goods, Benoît Lachambre e Vera Mantero. The Part é uma criação individual e um cruzamento teatral cheio de humor, live art e dança.

Em The Part, Livingstone usa como seus adereços um sofá velho, uma garrafa de vodka, uma peruca, uma barba e um pouco de música caseira. Ela é ao mesmo tempo femme fatale e Pai Natal, jogando com a distinção entre homem e mulher, trocando o vulgar pelo absurdo e criando um mundo singular onde todos estes elementos estão misturados numa combinação bizarra.

Livingstone desenhou as suas inspirações para este solo num workshop (Voorut em Ghent 2004) onde explorou como materiais principais de trabalho a linguagem, a hipnose e a percepção. Esta performance faz parte de uma série de movimentos/coreografias que a performer realizou em dueto com Heather Kravas em Nova Iorque.

The Part tem sido apresentada na Bélgica, Alemanha, Canadá e França.

Programação: Obra Madrasta em colaboração com o Serviço de Artes Performativas

Informações: http://www.obramadrasta.com

Posted in Performance | Leave a comment

UNTIL THE END / ATÉ AO FIM

Posted in Performance | Leave a comment

PAROLE, PAROLE, PAROLE…

Posted in Performance | Leave a comment

ANTONIJA LIVINGSTONE

Posted in Formação, Performance | Leave a comment

ANTONIJA LIVINGSTONE

Posted in Formação, Performance | 1 Comment

ANTONIJA LIVINGSTONE

A convite da Obra Madrasta – estrutura de produção e difusão de artes performativas, Antonija Livingstone (coreógrafa e performer canadiana), irá apresentar o solo “The Part” no Auditório de Serralves a 24 de Abril.

Neste âmbito, para além da sua participação especial nas Quintas de Leitura, organizadas pela Câmara Municipal do Porto no Teatro do Campo Alegre, a 22 de Abril, num programa dedicado ao escritor Gonçalo M. Tavares, irá decorrer um workshop com a artista no Auditório de Serralves, a 26 de Abril. Este workshop destina-se a profissionais da dança, teatro e performance, assim como a estudantes de nível avançado.

.

.

.

22 de Abril, 22h || Quintas de Leitura, Auditório do Teatro do Campo Alegre

Espectáculo para maiores de 16 anos.

Leituras por Gonçalo M. Tavares, o escritor convidado da sessão. Fará leituras – em redor do espaço – de excertos dos livros “1”, “O Bairro” e “O Reino”. Trabalho visual e plástico de “Os Espacialistas” (Luís Baptista e Diogo de Castro Guimarães), a partir da obra de Gonçalo M. Tavares.

Participação especial da coreógrafa canadiana Antonija Livingstone.

Fecha a sessão o patriarca da reputada editora FlorCaveira: Tiago Guillul. Faz-se acompanhar pelos músicos Guel e Lipe. Um concerto único e imperdível.

.

+ info

Teatro do Campo Alegre

Rua das Estrelas, s/n

Porto

tel 226063000

mail bilheteira@tca-porto.pt

blog http://quintasdeleitura.blogspot.com/

.
.
.

24 de Abril, 22h || Solo ‘The Part’, Auditório de Serralves

“Como tem sido regularmente debatido, os papéis sociais e performativos projectam em comum muito dos mesmos traços e fascínios. Existem diferentes formas de comportamento que um indivíduo reflecte no trabalho assim como numa festa, entre o ballet e a dança conceptual também existem igualmente diferentes modos de comportamento. Em The Part estes papéis são subtilmente mais do que matéria para uma peça livre e anárquica: habitada, questionada, transgredida e vazia de sentido, inteligentemente reformulada com novas significações e imprevisíveis energias sexuais (queer), incessantemente enredadas e difusas, criando um universo particular de associações e combinações entre o cliché e uma invulgar originalidade.”

Jacob Wren

Coreografia e Performance Antonija Livingstone

Som, Luz, Cenografia e Figurinos Antonija Livingstone

Direcção Técnica Alexandre Pilon-Guay

Tournée 2010 Wilson Blakely

Produção Executiva: Kris Nelson / antonym inc / Montreal, Qc

Produção Obra Madrasta | Fundação de Serralves / Serviço de Artes Performativas

Apoios Les Bains Bruxelas Be. Hedvigsdal, Se., Conselho de Artes do Canadá e Conselho de Artes e Letras do Quebeque

Agradecimentos Especiais Heather Kravas, Marie-Andree Gougeon, Benoît Lachambre, Meg Stuart, e Vera Mantero

.

+ info

Auditório de Serralves

Rua Dom João de Castro,210

Porto

tel +351 226 156 584

mail informacoes@serralves.pt

site http://www.serralves.pt/

.

.
.

26 de Abril, 10h – 17h || Workshop Blood and Guts | Peace and Quiet, Auditório de Serralves

O workshop irá operar como uma introdução a práticas personalizadas para potenciar o corpo e a imaginação para as questões que atravessam o trabalho performativo a solo.

Práticas multidisciplinares serão abordadas para disponibilizar o corpo e a mente, de forma a podermos trabalhar em diferentes aplicações como a espacialização/instalação/coreografia, bem como na relação testemunha/espectador.

O workshop é aberto a profissionais da dança, teatro e performance, assim como a estudantes de nível avançado, e outros curiosos em mover e ver através do seu Blood and Guts | Peace and Quiet.

.

Local

Auditório de Serralves

Rua Dom João de Castro,210

Porto

+ info

tlm +351 934 801 295

mail office@obramadrasta.com

.

Biografia

Antonija Livingstone (1971) é uma artista interdisciplinar. Ela cresceu no meio dos projectos itinerantes de extracção de ouro da sua família na Colômbia Britânica e no Yukon, Canadá. No inicio dos anos 80 em Vancouver antes de se mudar para Montreal e Europa, estudou e foi performer na Experimental Dance And Music (EDAM) com Peter Bingham e com o seu mais influente mentor, Jennifer Mascall, o coreógrafo e praticante de Bodymind Centering. Ela tem colaborado e apresentado o seu trabalho por toda a Europa com os coreógrafos choreographers Benoit Lachambre, (Confort et Complaissance, Not to Know, Bodyscan), Meg Stuart/Damaged Goods, (Visitors Only, Auf den Tisch, Somewhere in between),Vera Mantero, (Connexive, Até que Deus é destruído pelo extremo exercício de beleza). Em Berlim, colaborou com Eszter Salamon, (Reproduction) e Antonia Baehr (Stay in the Costume Stay in the Frame, Cat Calendar). A sua prática como coreógrafa é bastante autodidacta, tendo raízes nas intersecções da sua experiência com o Ballet Clássico, Contact-Improvisation, Artes Marciais Chinesas, e actuando como Drag King, em clubes e contextos Queer em todo o Canadá, em Nova York e Berlim, nos anos 90.

Iniciou o desenvolvimento do seu próprio trabalho através do apoio do Les Bains :: Socio-Artistic Laboratory, em Bruxelas entre 2000-2004, onde surgiu o seu trabalho a solo, The Part. De 2003-2008, tem colaborado com a artista nova-iorquina Heather Kravas num processo de conversas coreográficas apoiada pelo Movement Research NYC, Canada Council for the Arts, Les Bains, Centre Choreographique de Franche-Compte a Belfort, France, e Le Quartz, Brest, France. Desta colaboração surgiu – a situation for dancing 05, um evento performativo de 4 episódios. A colaboração com a Coreógrafa Jennifer Lacey rendeu uma ode pastoral para o trabalho Culture & Administration: 2009/10, estreia no Festival de Avignon. Actualmente reside em Montreal, Quebec, onde desenvolve os seus estudos na técnica Alexander.

.

Posted in Formação, Performance | 1 Comment

PAROLE, PAROLE, PAROLE

Première

14 a 18 de Abril, 21h30

no NEGÓCIO, Lisboa

 

Parole, parole, parole… é pouco mais que uma rima poética. Levemente melancólica, talvez , quando quase se inclina para uma comédia de um mal de vivre tão próximo, um tédio tão naturalmente burguês, tão nosso portanto.

O espectáculo parte daquilo que na linguagem é o seu potencial projectista, de desenhar aquilo que vamos querer que seja, e encontra-se em dialogos a dois, reais ou hipotéticos, que tentam construir utupias (Pessoais, domésticas ou comunitárias), que se confrontam pacificamente com a falha de todos os seus épicos projectos e que fáticamente se consolam no vazio das frazes que procuram esconder a descrença no futuro (que se tornará [ou ter-se-á já tornado?] prematuramente presente)

Eles (ou seja, nós) procuram reencontrar-se com a ilusão, manter-se activos na construção de qualquer coisa que intuem, não se deixar esmorecer, e permanentemente se confrontam com o seu reverso, a desilusão, a inevitavel derrocada dos materiais concretos, que não espelham nunca essa realidade mais real, porque mais viva e mais presente, que se desenrola continuamente nos seus projectos de um mundo por vir, juntamente com o tão esperado consolo final.

Eles, vigiam-se fantasmáticamente no seu fazer, num paternalismo exercido sobre si mesmo. Porque não querem aprender a contemplar poéticamente a sua própria morte.

.

Parole, Parole, Parole de Dinis Machado, corp.

Com Ana Rocha, Dinis Machado, Inês Vaz e Jorge Gonçalves

Consultoria José Capela

Figurinos Miguel Flor

Produção / Assistência de Direcção Ana Rocha

Co-Produção Núcleo de Experimentação Coreográfica e Galeria Zé dos Bois

Apoio Fundação Calouste Gulbenkian, Pedras e Pêssegos e Teatro Nacional S. João

Agradecimentos Sérgio Julião (VoiceLand), Filipe Taxas, Retroparadise e Lisa Cepeda

Projecto criado no âmbito do “Serviço Permanente”/ NEC

.

+ info

NEGÓCIO

Rua de O Século nº 9 porta 5

Lisboa

tlf +351 213 430 205

mail reservas@zedosbois.org

site www.zedosbois.org

 

 

Posted in Uncategorized | Leave a comment